MISSIONEIRO

do payador das missões
que amanheceu nos fogões
sobre um couro de bagual
enquanto ouvia um sorçal
floreando um hino de guerra
na melodia que encerra
a origem dos instrumentos
e o tupã - senhor dos ventos
benzia os cantos da terra!

De onde venho? - pra onde vou?
o que não sabe - adivinha!
venho do riba da linha
lá - onde a pátria se gerou
O rio Uruguai berrou
e fez que a terra se abrisse
e dali - o guasca surgisse
sobre o lombo do cavalo
volteando a história de um pialo
pra que o gaúcho existisse!

Morri - mas ressuscitei
das cinzas da minha fé
o sangue de São Sepé
me fez santo - eu me fiz rei
gaucho me transformei
num barbaresco improviso
e - ali no chão impreciso
de parceria com o vento
sou hoje - o prolongamento
do chão sagrado onde piso!